quinta-feira, 4 de abril de 2013

2 OFÍCIO - H.G.

SEGUNDO OFÍCIO

Também disponível em:
http://halugamashi.no.comunidades.net/index.php?pagina=1263386469



Halu Gamashi
O programa acontece diariamente às 22h, horário de Brasilia (BR).
A Radio Universo Pralelo e Halu Gamashi convida a todos para "Oficios" Diariamente as 04:00h, 12:00h, 16:00h e 22:00h.  

Programa Semanal com Dienny Marques, Jaruam Xavier e Dj Dimas Xapanan

http://dyb.fm/espacoparalelo



Sobre os ofícios

         Em 27 de janeiro de 1997, às 9h, em São João da Aliança, GO/BR, eu, Halu Gamashi, fui completamente tomada por uma consciência que disse a mim ser um "Kadoshi" -- uma semana antes havia sido orientada pela espiritualidade que acompanha o meu trabalho a me dirigir a cidade acima citada. Muitas pessoas me acompanharam e viveram este importante momento comigo.  
         Exatamente no dia e hora citados esta força falou por minha boca -- difícil, impossível descrever a sensação de ternura, carinho e compreensão que se apoderaram de mim. Simplesmente descrevo como uma necessidade vital de levar aos homens estas mensagens, que todos os que lá estavam ouviram-nas pela primeira vez, juntamente comigo.

         Coloquei estas mensagens em um livro intitulado: "A Hermenêutica de Deus e o Código Original".

         Hoje, dia 18 de março de 2013, às 11h, no Vale do Capão, Chapada Diamantina, BA,/BR, recebi a orientação de colocar este documento espiritual no meu site; se não o fiz antes foi por não ter recebido esta ordem que, agora, recebo. Junto com a ordem me vem um recado ou uma mensagem para que eu distribua: “Este documento espiritual que se auto-intitulou ‘Ofícios’, ‘Parte III, Ofícios e Epistolas’, livro ‘A Hermenêutica de Deus e o Código Original’, são, na realidade, diretrizes, setas que iluminam a jornada dentro deste período de profundas trevas que estamos atravessando”.

         Recebo também a informação que o nosso planeta mergulha na parte mais escura desta treva atemporal. Sou informada que levaremos sete anos para ultrapassá-la. O nosso planeta já viveu fases como esta em outros tempos, cito aqui os sete anos de fome no Egito, que não foi pior porque José foi avisado em sonho. Recomendo pesquisa sobre este período na Bíblia, livros místicos e textos esotéricos que narram diversos períodos em que o planeta Terra repetiu esta mesma experiência.

         Eu, Halu Gamashi, recebi uma ordem e a cumpro com inteireza.

         4 x 4 = 16. Isto é uma citação cabalística que significa: "Assim é, assim será, assim o cumpra".

         No dia 27 de janeiro de 2013 eu me instalei aqui, no Vale do Capão, Chapada Diamantina, BA/BR, para morar também recebendo ordens superiores. Hoje, 18 de março de 2013, recebo este texto juntamente com a orientação de repassar a todos, semanalmente, este documento espiritual que foi chamado pelos seres superiores de "Ofícios".
         Desde o dia que os recebi até os dias de hoje se passaram 16 anos e, durante estes 16 anos eu, Halu Gamashi, fui conduzida pela espiritualidade superior a mergulhar nesta treva atemporal na qual, de tempos em tempos, todo o planeta mergulha. Vi muitas coisas, compreendi outras tantas. Esta zona de treva é perigosa, estimula a maldade dentro dos homens através das suas mesquinharias, ódios, desavenças, invejas, cobiças pessoais.

         Sou informada que a cada um milhão de pessoas que mergulham nestas trevas uma consegue sair. Quem sabe fazer contas que faça.

         Dou aqui o meu testemunho: durante estes 16 anos por muitas vezes eu mesma conclui que não conseguiria sair. A minha tábua de salvação foram estes “Ofícios”; ler, refletir e estudá-los operou na minha mente uma lucidez para encontrar as pedras luminosas que me levariam à saída, que me levariam ao portal da luz .

         4 x 4 = 16
         Fiz, cumpri e isto é o que importa.

         São sessenta “Ofícios” e vamos disponibilizar um por semana por ter sido exatamente assim que me orientaram a fazer.

         Quem quiser aprofundar, conversar sobre este tema, só o farei de forma oral e pessoalmente por ter sido desta maneira a orientação que recebi.

         Com carinho por todos,

Halu Gamashi 




            "Introdução

Eu sou a Luz que desapareceu sem apagar a lamparina.
Eu sou a Luz, eu sou o Éden.
Eu vou criar mais criaturas dentro das criaturas.
Eu sou, sou o fogo que flagrou os ramos do cipreste.
Eu sou o sangue que escorreu do ferro.
Eu sou a seiva que coloriu de verde o verde,
Que descoloriu o verde e alimentou a terra.
Eu sou o que falta na voz da sua fala.
Eu sou o que falta no limo da sua dor.
Eu sou o que falta no sabor da sua saliva.
Eu sou o que sobra na fartura da lua.
Eu sou o que sobra em tudo o que nasceu.
O estranho, o interno, o eterno, o íntimo, o postulado.
Eu sou, eu sou, eu sou, eu sou.
O que não se sabe sou eu.
O que nao se entende sou eu.
O que se quer sem saber sou eu.
Eu sou a oculta visão do cego,
O sombrio verbo do mundo,
O pulsar do pulsar de um instante antes da vida.
Eu sou para quem se oferece a ferida.
Eu sou, eu sou, sou eu.
Eu sou o corte do frio.
Sou eu que sou.
Eu sou, eu sou.
De ontem ate hoje, de hoje para amanhã sou eu que vou.
Eu que sou o rizo do hiperon, sou eu.
O tisne do Chipre sou eu.
A gemula do âmago do homúnculo sou eu.
O rípio sou eu.
Quem sou, eu sou.
O icto do buril sou eu.
A semana, a semente, o sêmen da semente da semana sou eu.
Sou eu que sou, eu sou.


Observações sobre a Introdução: 

Rizo: elemento de composição grego, raiz.
Híperon: denominação genérica de barions instáveis, mais pesados quer o próton e que contém pelo menos um quark estranho.
Gêmula: pequena gema, embrião. Corpo reprodutor assexuado que se forma nas esponjas de água doce e em certos organismos marinhos destinado a multiplicação vegetativa.
Homúnculo: miniatura do feto humano que se supôs existir no espermatozóide.
Rípio: cascalho ou pedra miúda, com que se enchem os vãos deixados nas paredes pelas grandes pedras.
Icto: choque, golpe, acesso ou ataque súbito.
Buril: instrumento para lavar a pedra."

Algumas pessoas sugeriram  o glossário acima de palavras pouco usuais e Halu Gamashi acatou.


   Segundo Oficio

                 FALA DEUS SOBRE O PERDÃO

Terá o homem hoje o perdão, neste momento todos os homens da Terra estão perdoados. Todos os homens da Terra: não há excessao. Do pequeno ao grande mal, o Deus da Luz e da Forca Eterna levará nas entranhas e entregará ao buraco negro, fiel criador do mal do Homem. E a partir de amanhã, limpo de alma, limpo de coração, começara o Homem a sua jornada. Trinta e três anos terá para seguir a sua estrada e encontrar a estrada do principio, do meio, onde aprendera que não existe fim. Trinta e três anos sorrira o Homem por todas as vezes que por sua boca passar o nome de Deus e de seus mensageiros, porque só o pecado da Terra será retirado.

Deus não agrava o Homem. Deixará consigo as suas conquistas e cada homem será avaliado, não pelo mal que cometeu, mas pelo tamanho do Bem e da Luz que gerou. Não é do mal o Homem; então por ele não responderá. É do Bem o Homem e por este responderá.

Já foi dito que o pecado tiraria o Homem de Deus. Para que isso não se concretizasse, vem Deus ao Homem e cobrará Deus, do dia de hoje a trinta e três anos, num dia de hoje, o Bem e a Luz que o Homem gerou.

O senhor do algodão, quando chega nas suas terras, só o algodão recolhe para negociar com o vendeiro; o mato não é pesado, as pragas não são pesadas. Quando o pastor conta as suas ovelhas, separa-as pela la que produziram; o capim que comeram não é observado.

Assim será Deus quando escolher as suas ovelhas e o seu algodão. Não adianta dizer que não produziu para não macular. Toda mácula será do buraco negro e toda Luz será do Homem para Deus e de Deus para o Homem, mantendo a eternidade. E eu digo que é o Homem maior do que a ovelha e mais leve do que o algodão. Assim será. Chegará a Deus primeiro.

Dez virtudes terá o Homem à sua disposição:
a virtude do trabalho,
a virtude do estudo,
a virtude da procura,
a virtude da experiência,
a virtude da confiança,
a virtude da confirmação,
a virtude da negação,
a virtude da associação,
a virtude da atracão,
a virtude da retração.

A reunião de todas essas virtudes ensinará o Homem a amar e, possuído pelo Amor, possuirá a terra. Enquanto o Homem não desfrutar das virtudes, não será um fruto, não terá sementes, não conhecerá a terra. É da terra o Homem, mas o Homem não é da terra. A terra esta para o Homem, como o Homem esta para as virtudes.

Dois e dois são quatro e quatro é a possibilidade do Homem se multiplicar e ser dezesseis. E dezesseis são os símbolos que levam a casa de Deus e essa casa de Deus esta dentro do Homem. A chave de entrada desta casa é que esta solta no Universo.

Este é o mistério de Deus: constrói o paraíso na alma do Homem e joga a chave de entrada nas fronteiras do inferno, para que o Homem conheça o inferno e jamais o traga para dentro da sua casa-paraiso.

Este e o mistério de Deus, que eu, Adonai, traduzo para vocês. Tudo será falado claro, nada ficará sem ser entendido, palavra por palavra.

Texto do livro "A HERMENEUTICA DE DEUS E O CÓDIGO ORIGINAL", de HALU GAMASHI.