sábado, 3 de novembro de 2012

Escolher, eleger, edificar - HALU GAMASHI

Texto publicado em: http://halugamashi.blogspot.com.br/




                                                  Escolher, eleger, edificar


Até que ponto temos consciência do quanto as nossas escolhas elegem e edificam o coletivo?

Aqui, no Brasil, acabamos de eleger os nossos prefeitos e o que elegemos já se organiza para direcionar a eleição dos nossos governadores e presidente da República.

Até que ponto, como indivíduos, temos consciência da nossa responsabilidade por tudo o que acontece no cenário nacional?

Quando veremos que corruptos somos nós, eleitores?

Quando perceberemos que administramos a nossa casa com as mesmas deficiências com que elegemos os nossos representantes?

Corrompida está a nossa alma e é impressionante o quanto podemos ver isto na politica e o quanto não conseguimos ver em nós mesmos. A nossa imaturidade nos leva procurar culpados pela nossa deficiência e aí quanto piores forem os nossos representantes mais justificada estará a nossa imaturidade e irresponsabilidade pelo nosso crescimento tanto quanto individuo, tanto quanto povo e nação.

Todo político tem o eleitor que merece.

Eu tenho esperança que apareça um dia um administrador público que queira selecionar os seus votos, que queira escolher os seus eleitores porque, de verdade, não existe “cabresto” sobre eleitor. São os eleitores que colocam o cabresto no administrador público, piorando-o enquanto pessoa, definhando os seus ideais, empobrecendo as suas lutas para caber no voto do eleitor que o elege.

É muito comum ouvir que o politico que chega ao poder abandona os seus sonhos ou, como o povo diz “chega lá em cima eles entortam” e enquanto não entorta o povo não elege.

 A origem do mensalão esta no salário que ganhamos para não cumprir com as nossas obrigações. Quantos mensaleiros não existem em nosso pais? Nesta conta eu incluo toda e qualquer pessoa que não se responsabiliza por cumprir a sua parte.

O crescimento pessoal é a mola mestra que incentiva o crescimento coletivo. Queremos crescer enquanto pessoas? Que tipo de crescimento almejamos? Será que o Brasil está pronto para ser administrado por políticos honestos que se sentiriam totalmente a vontade para cobrar honestidade dos seus liderados?

Quando todas estas perguntas passarem verdadeiramente a fazer parte do nossos questionamentos internos, quando entendermos que espiritualidade e cidadania são forças para nos construirmos como cidadãos pensantes e responsáveis, poderemos mudar tudo o que está acontecendo.

Aqui fica o meu pedido, senhores administradores públicos, mantenham-se em seus sonhos, nos seus ideais e quando fizerem campanha selecionem o seu eleitor. O que você vai fazer com um eleitor que quer minar as suas realizações?

Fica o meu pedido a todas as pessoas: vamos lutar para sermos seres humanos melhores, pai de família melhor, mãe de família melhor, motorista melhor, pedestre melhor porque desta melhora é que teremos a oportunidade de eleger políticos melhores. Quer melhorar a saúde pública? Melhore a saúde na sua casa, na sua mente, na sua alma que ai você reconhecerá no outro o seu próprio crescimento.

Pedindo paz ao mundo,

Halu Gamashi