domingo, 14 de julho de 2013

A "cura gay"?


Em momentos de reivindicações e protestos,
é importante pensarmos a respeito dos acontecimentos;
e assim desenvolvermos nossa própria opinião de
indivíduo e cidadão de um país democrático.
E quanto mais cedo começarmos, tanto melhor.


Lembrei-me certa vez, trabalhado com crianças, eu vestia uma blusa verde e branca. Uma delas me perguntou:
- Prô, você é palmeirense, né?
Silêncio na turma, todos me olhavam: eu estava na periferia de São Paulo. E o assunto era futebol.
- Por que a pergunta?
- A sua blusa! Se você torcesse pra outro time não tava com essa blusa!!!
- E quem "nasceu primeiro": a cor ou o seu time?
Após alguns segundos de caretas e reflexões, com auxilio dos amigos, veio uma titubeante resposta:
- Ai, prô, foi a cor... ela já tava aqui antes!
-  Que bom! Eu já estava começando a achar que você pensava que toda árvore torcia para o Palmeiras e que toda noite escura era corinthiana.
- Ih, prô, é mesmo, não é assim não...
- Então posso vestir a cor que eu gostar sem precisar torcer para o seu time. E você também.


Aqui está um texto que pode auxiliar nas reflexões:

http://terrenobaldiohg.blogspot.com.br/2013/06/a-cura-gay.html